20.11.13

                    Preciso de desabafar, de um colo quente e acolhedor, de umas palavras que me confortem, que me acalmem. Tenho uma séria dificuldade em controlar o choro, penso demais. Todo o meu problema gira em torno do “pensar demasiado”. As coisas são tão simples, são o que são e porquê olharmos para elas e ver não o que são mas o que achamos que são? Fosse o meu pensamento sempre assim, objectivo, real.
                  Eu sou complicada, não há nada que seja simples e tudo o que efetivamente o é, em mim, torna-se num bicho que me devora, que me consome. Eu deveria desabafar contigo, tu que és o meu porto de abrigo mas nem isso quero fazer. Não te quero preocupar. Vais ler isto, seja quando for, mas quero pedir-te para não desistires de mim. As coisas vão complicar-se, eu vou complicar-me e o mundo vai, aparentemente (espero eu que só) ficar contra nós e, quando nada parecer estar a nosso favor, não desistas de mim. Tal como eu nunca irei desistir de ti. És a minha vida, provavelmente, o amor da minha vida por encontrar em ti tudo o que falta em mim, tudo o que falta no resto do mundo. Eu estou aqui, só te peço que estejas do meu lado, sempre. 

Sem comentários: