21.7.11

amor à quarta potência

não te tento beijar com brutalidade, prefiro saborear o doce da tua boca ao de leve. trepas-me pelo peito e tornas-me na tua casa plantada a beira mar. vives a um metro do abismo e vais chegado-te para trás, segues o calor do meu corpo. não és de fraquezas mas agarras nos meus braços e não me permites que eu os largue quando olhas em redor e a única coisa que consegues ver é a tua sombra. vou-te contar um segredo, a tua sombra sou eu.

5 comentários:

joanarocha disse...

que bonito *-*

joanarocha disse...

de nada querida (:

Abigail disse...

ainda bem que ficas contente! (:
esta lindo, lindo, lindo *
nem mais, é mesmo, é do melhor que há, porque da para sentir o que eles cantam

Mariana disse...

Adorei! lindo :)

Rita disse...

Adorei este texto teu. Assim como o teu blog num todo!
Acho que consegues transmitir esse sentimento de suavidade bastante bem, eu consegui sentir-lo!

Olha, visto que, como já disse, gostei bastante do teu blog, resolvi seguir-te! Continua :)