6.1.11

ultrapasso os limites, aqueles limites monótonos que a minha mente impõe ao meu corpo . enfurece-me saber que a solidão se apodera de mim devido ao dias de chuva intensa que rasga o meu coração . nunca decifrei o barulho da chuva na janela, nunca tive coragem para o fazer. acho inoportuno desafiar o que não conheço, aliás acho-o indecifrável . não me importo se hoje chove, se amanhã volta a chover e se assim vai ficar durante anos . só me deixa ansiosa pela brecha de sol que vai espreitar envergonhada pelas nuvens . e é aí, debaixo do sol franco que vamos sentir o nosso coração no mesmo compasso. por enquanto fico à lareira o que sabe bem quando o calor queima as partículas do meu corpo, e nos dias em que frio rasga, a chuva impõe-se e o céu estremece estou à lareira contigo o que é ainda melhor , percebo que não há melhor calor para mim que o calor do teu aconchego .

3 comentários:

daniela disse...

princesa está lindo <3
love you

Sara. disse...

Obrigada :)

Sara. disse...

Pois é *.*